O secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, avaliou como positivos os dados que resultaram no corte de 331.901 vagas com carteira assinada no mês de maio. A afirmação leva em conta a redução dos desligamentos e aumento das admissões na comparação com o mês de abril.

De acordo com as informações divulgadas nesta segunda-feira (29), pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) as contratações subiram 13,7% (de 618.704 para 703.921) e as demissões caíram 31,9% (de 1.521.545 para 1.035.822) entre os períodos.

“Perdemos 331 mil vagas, no entanto, o resultado é muito bom, tendo em vista a comparação com o mês de abril”, pontou ao lembrar do corte de 900 mil postos formais de trabalho no período anterior. Ele afirmou ver os números como “uma reação clara da economia”.

Leia mais: Isolamento deve impedir alta imediata da taxa de desemprego

“O primeiro ponto a se enfatizar é a clara reação do mercado de trabalho, a clara melhora da economia e a clara melhora dos números relativos ao emprego Brasil”, comemorou Bianco.

Apesar de destacar a melhora, o secretário ressaltou que “qualquer emprego perdido não pode ser tido como algo positivo” e disse que o governo trabalha “diuturnamente” pensando na melhora da economia e do mercado de trabalho.

Para Bianco, o problema atual do mercado de trabalho envolve um volume menor de novas contratações em função da pandemia do novo coronavírus. “Em uma situação de normalidade, as demissões seriam compensadas por outras admissões e isso resultaria em um resultado positivo”, explicou.

Veja também: Brasil soma 3.6 milhões de pedidos de seguro-desemprego em 2020

Saiba tudo sobre empregos, estágios, cargos públicos e muito mais no Notícias de Emprego

Leia também

LGESP divulga oportunidade(s) para Gerente de Desenvolvimento de Negócios (Vendas B2B) – v2070411

Descrição Desafios da Vaga O profissional será responsável por buscar novos clientes B2B n…