Quer receber as principais Notícias de Emprego pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Professor Diogo Arrais explica que os termos se e si são comumente confundidos. Confira a diferença entre eles

Por Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais)

access_time 13 ago 2019, 14h06

É muito comum, no dia a dia da Língua Portuguesa, perceber a confusão gráfica entre “se” e “si”.

 O termo “se” é, na maioria das vezes, conjunção ou pronome:

“Se não ocorrer engarrafamento, irei a Brasília hoje.”

 (veja acima a ideia da hipótese)

“Após a sessão, os deputados abraçaram-se.”

(veja acima a ideia de reciprocidade)

 Vale lembrar que essa reciprocidade remete a uma ação mútua, como:

“Sousa e Silva acusavam-se sempre.”

“Viram como eles se cumprimentavam?”

Já o termo “si” é um dos pronomes oblíquos tônicos (mim, ti, si). Esses tônicos são sempre precedidos por preposição.

“Santana costumava falar bem de si mesmo.”

“Cada um por si, e Deus para todos.” 

 Além disso, é preciso estar alerta e jamais usar “si” por “você, como no exemplo abaixo: 

“Não tenho nada contra si, Helena!” (forma inadequada)

“Não tenho nada contra você, Helena!” (forma correta)

Por fim, lembre-se da regra: “si” é precedido por preposição.   

“Exigia demasiadamente de si mesmo.”

“Vi um grupo de jovens discutindo entre si.”

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa
Fundador do ARRAIS CURSOS

Leia também

Colgate Palmolive divulga oportunidade(s) para Estágio em Recursos Humanos

Buscamos candidatos que estão cursando Administração ou Psicologia com conclusão prev…