Connect with us

Notícias

Economista orienta consumidores a driblarem alta dos preços e as dívidas com cartão de crédito

Artigo

em

22 de maio, de 2022 | 11:00

Economista orienta consumidores a driblarem alta dos preços e as dívidas com cartão de crédito

Reprodução
Makáliston Brito indicou o Tesouro Direto como uma das opções de investimento, modalidade em que é possível aplicar um valor baixoMakáliston Brito indicou o Tesouro Direto como uma das opções de investimento, modalidade em que é possível aplicar um valor baixo

Em meio à alta de preços e juros altos, os consumidores estão cada vez mais apertados financeiramente. Uma ida ao supermercado, pagar juros do cartão de crédito, fazer um financiamento ou pegar um empréstimo junto ao banco pode ter se tornado uma missão bem difícil para os brasileiros. Em entrevista ao Diário do Aço, o economista e professor Makáliston Brito ressaltou que, apesar dessas dificuldades financeiras, é possível os consumidores encontrarem meios para economizar e fazer investimentos, além de evitar complicações com dívidas do cartão de crédito.

LEIA TAMBÉM

Atualmente, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – que mede a inflação – está em 12,13% (acumulado de 12 meses), e a taxa de juros equivalente à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) está em 12,75%. Essas altas taxas dificultam a vida de muitos, principalmente, para aqueles que recebem uma renda financeira menor.

Juros

Em uma análise feita pela reportagem do Diário do Aço, com base nos dados de uma fatura de cartão do banco Santander, foi verificado que a taxa de juros do cartão do crédito está em 8,19% ao mês e 157,18% ao ano (custo efetivo total). Isso significa que uma fatura de R$ 2 mil, por exemplo, parcelada no crédito rotativo do cartão em 12 vezes, custará ao consumidor R$ 3.143,60 no cartão, ao fim do prazo. Já a taxa de juros de cheque especial, da Caixa Econômica Federal, está em 7,53% ao mês e 138,87% ao ano. São juros considerados absurdos, visto que uma caderneta de poupança recebe correção de apenas 0,5% ao mês.

Endividados

Conforme Makáliston Brito, a principal dica para aquelas pessoas que estão endividadas com juros do cheque especial ou do rotativo do cartão é procurar o banco para negociar. “Sempre há uma oferta ou uma possibilidade de parcelar essa dívida do cheque especial ou do rotativo, e ainda cancelar esses serviços. Uma alternativa muito boa também, apesar da Selic estar alta e não sendo o melhor momento de pegar empréstimo, é que se a pessoa tem uma dívida que está cobrando 14% de juros ao mês e consegue um empréstimo com uma taxa menor, é muito melhor trocar essa dívida. Vale ressaltar que, normalmente, no crédito consignado, os juros são mais baixos”, orientou.

Economia

Conforme o economista, para economizar diante das altas de preços, a melhor alternativa é sempre pesquisar, seja na internet ou nas lojas físicas. “Se for uma compra via internet, uma dica boa é a pessoa colocar o item na aba de ‘carrinho’ do site de compras e esperar alguns dias. A partir daí o consumidor poderá começar a receber mais ofertas e anúncios desse mesmo produto, e possivelmente poderá ter um cupom de desconto”, informou.

Compras

Makáliston Brito também orientou que quando as pessoas forem fazer compras de supermercado, evitarem fazer aquela compra grande do mês. “A cada fim de semana, os preços mudam, então a pessoa pode achar certos produtos com um preço menor dependendo da semana que for. E uma informação importante é que os supermercados têm estratégias voltadas para o início do mês, que é quando as pessoas estão com dinheiro, então os preços das mercadorias acabam ficando um pouco maior nesse período”, afirmou.

Descontos

O economista ainda cita que existem aplicativos ou programas de fidelidade que oferecem descontos. “Quando forem abastecer seus veículos, podem ter um desconto por meio dessas ferramentas. Alguns supermercados também oferecem um preço diferenciado para cooperados ou associados. Já para economizar na conta de água e energia, o ideal é sempre deixar os aparelhos desligados e fora da tomada, o que parece ser bobo, mas muitas pessoas não fazem isso”, afirmou.

Investimentos

No entendimento do economista, as pessoas com menor rendimento mensal devem procurar fazer algum investimento, mas ele ressalta que, para isso, não podem ter dívidas atrasadas, como fatura do cartão ou contas de energia, telefonia ou água, por exemplo. “O primeiro ponto importante é que só podem investir, mesmo pouco, por exemplo R$ 30, quando não tiver dívidas, ou seja, quando não estiver pagando cheque especial ou rotativo do cartão. Juros de dívida são sempre maiores que juros de investimento. Então não adianta estar devendo e tentar investir em algo achando que vai mudar a sua vida, porque não vai”, enfatizou.

Tesouro Direto

Para quem quer começar a investir com pouco dinheiro, Makáliston Brito indicou o Tesouro Direto, que ele considera muito seguro, até mais que a poupança. “A pessoa consegue investir nele pela internet e muitos bancos oferecem essa modalidade gratuita, sem taxa. Com R$ 30, já é possível investir no Tesouro Direto, que é totalmente seguro, com risco mínimo e tem uma boa rentabilidade em relação à poupança”, ressaltou.

CDB

O economista também indica outro tipo de investimento, que é o CDB (Certificado de Depósito Bancário), no qual a pessoa empresta dinheiro para os bancos, que pagam juros por esse dinheiro emprestado. “Desse modo, a pessoa faz um investimento no CDB, de acordo com seu período de aplicação, seja uma vez por mês ou a cada três meses, e os bancos pagam os juros por isso. É descontado imposto de renda do valor recebido, mas ainda assim, vale a pena o investimento. Portanto, as pessoas devem buscar meios para investir de acordo com suas condições”, concluiu.

Repórter Tiago Araújo

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Notícias

Região de Ribeirão Preto tem 368 vagas de emprego abertas nesta semana; saiba como se candidatar

Artigo

em

Por

LEIA TAMBÉM

Carteira de trabalho — Foto: José Fernando Ogura/AEN

As cidades de Ribeirão Preto (SP), Jaboticabal (SP), Sertãozinho (SP), Barretos (SP) e Bebedouro (SP) estão com 368 vagas de emprego abertas nesta segunda-feira (27). (Veja abaixo como se candidatar)

Entre as oportunidades estão cargos de cozinheiro, motorista, auxiliar de escritório, vendedor, operador de máquinas, garçom, engenheiros, entre outros.

O trabalhador interessado pode fazer o cadastro on-line no site do Sistema Nacional de Emprego (Sine) para consultar as vagas e participar dos processos.

Em caso de atendimento presencial nos Postos de Atendimento ao Trabalhador (PATs), o candidato deve apresentar carteira de trabalho, RG, CPF ou CNH, comprovante de endereço atualizado e número do PIS.

O PAT fica na Avenida Francisco Junqueira, 2625, Jardim Macedo. O atendimento acontece de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 16h. Mais informações sobre vagas e agendamento podem ser obtidas pelo telefone (16) 3625-7381.

  • Gerente de Loja e Supermercado
  • Técnico de Obras Civis
  • Técnico em Segurança no Trabalho
  • Vendedor Pracista
  • Auxiliar de Escritório (3 vagas)
  • Assistente Administrativo (2 vagas)
  • Operador de Caixa (2 vagas)
  • Despachante de Transportes Coletivos
  • Cozinheiro Geral (3 vagas)
  • Garçom
  • Atendente de Lanchonete
  • Auxiliar nos Serviços de Alimentação (2 vagas)
  • Auxiliar de Manutenção Predial
  • Faxineiro (4 vagas)
  • Lavador de Veículos
  • Vendedor de Comércio Varejista (3 vagas)
  • Operador de Pá Carregadeira
  • Pedreiro
  • Carpinteiro
  • Servente de Obras (2 vagas)
  • Ferramenteiro
  • Operador de Máquinas-Ferramenta Convencionais (3 vagas)
  • Soldador
  • Montador de Equipamentos Elétricos (2 vagas)
  • Marceneiro
  • Montador de Móveis e Artefatos de Madeira
  • Motorista Operacional de Guincho
  • Ajudante de Motorista(4 vagas)
  • Alimentador de Linha de Produção
  • Açougueiro
  • Operador de Máquinas Fixas
  • Operador de Estação de Tratamento de Água (2 vagas)
  • Mecânico de Manutenção de Máquinas Agrícolas
  • Mecânico de Veículos Automotores a Diesel
  • Mecânico de Manutenção de Máquinas Cortadoras (2 vagas)
  • Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica
  • Funileiro de Veículos (Reparação)

O PAT fica no prédio da Prefeitura de Jaboticabal. O endereço é Esplanada do Lago Carlos Rodrigues Serra, 160, Vila Serra. O atendimento é feito de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 12h e das 13h às 16h.

  • Gerente Comercial
  • Gerente de Projetos e Serviços de Manutenção
  • Analista de Sistemas de Automação
  • Nutricionista
  • Professor Instrutor de Ensino e Aprendizagem
  • Representante Comercial Autônomo
  • Inspetor de Qualidade
  • Supervisor Administrativo
  • Auxiliar de Escritório
  • Operador de Telemarketing Receptivo
  • Vendedor de Comércio Varejista
  • Atendente de Farmácia
  • Vendedor em Domicílio (4 vagas)
  • Caldeireiro (Chapas de Ferro e Aço)
  • Montador de Máquinas
  • Ajustador de Instrumentos de Precisão
  • Alimentador de Linha de Produção
  • Funileiro de Veículos (Reparação) (2 vagas)
  • Lavador de Peças

O PAT Sertãozinho fica na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O endereço é Rua Voluntário Otto Gomes Martins, 1.380, Centro. O atendimento acontece de segunda-feira a sexta-feira, das 8h30 às 11h e das 13h às 16h. Informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3942-3714.

  • Engenheiro Eletricista
  • Engenheiro Eletrônico
  • Técnico em Mecatrônica
  • Técnico de Manutenção Eletrônica
  • Técnico Eletrônico
  • Técnico de Rede (Telecomunicações)
  • Desenhista Projetista Mecânico (3 vagas)
  • Tecnólogo em Logística de Transporte (2 vagas)
  • Assistente de Vendas (4 vagas)
  • Vendedor Pracista
  • Representante Comercial Autônomo
  • Inspetor de Qualidade
  • Auxiliar de Escritório (2 vagas)
  • Assistente Administrativo (2 vagas)
  • Auxiliar de Contabilidade (2 vagas)
  • Almoxarife (2 vagas)
  • Recepcionista
  • Empregado Doméstico (2 vagas)
  • Cozinheiro Geral
  • Garçom (2 vagas)
  • Auxiliar nos Serviços de Alimentação
  • Auxiliar de Manutenção Predial
  • Trabalhador da Manutenção de Edificações
  • Cuidador de Idosos
  • Agente Funerário
  • Vigilante
  • Vendedor de Comercio Varejista (3 vagas)
  • Promotor de Vendas
  • Instalador de Som e Acessórios de Veículos (2 vagas)
  • Operador de Colheitadeira
  • Pedreiro
  • Carpinteiro (2 vagas)
  • Eletricista de Instalações (4 vagas)
  • Servente de Obras
  • Ferramenteiro
  • Operador de Máquinas-Ferramenta Convencionais (2 vagas)
  • Operador de Usinagem Convencional
  • Preparador de Máquinas-Ferramenta
  • Operador de Retificadora com Comando Numérico
  • Operador de Acabamento de Peças Fundidas
  • Pintor de Estruturas Metálicas
  • Pintor
  • Instalador de Tubulações (3 vagas)
  • Soldador (5 vagas)
  • Caldeireiro (Chapas de Ferro e Aço) (4 vagas)
  • Serralheiro (2 vagas)
  • Montador de Máquinas
  • Mecânico de Refrigeração
  • Instalador-Reparador de Redes Telefônicas
  • Costureira de Reparação de Roupas
  • Costureiro na Confecção em Série
  • Montador de Móveis e Artefatos de Madeira
  • Guincheiro (Construção Civil) (2 vagas)
  • Operador de Empilhadeira
  • Motorista de Furgão ou Veículo Similar
  • Motorista de Ônibus Rodoviário
  • Motorista de Ônibus Urbano (2 vagas)
  • Motorista de Caminhão (7 vagas)
  • Embalador
  • Alimentador de Linha de Produção (12 vagas)
  • Assistente de Laboratório Industrial
  • Mecânico de Manutenção de Bombas
  • Mecânico de Manutenção e Instalação
  • Mecânico de Manutenção de Máquinas (4 vagas)
  • Mecânico de Manutenção de Automóveis (4 vagas)
  • Mecânico de Manutenção de Empilhadeiras
  • Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica
  • Eletricista de Instalações (2 vagas)

O PAT Barretos funciona no Poupatempo, no setor de Serviços Municipais. É necessário agendamento prévio que pode ser feito presencialmente ou pelo site.

O endereço é Via Conselheiro Antonio Prado, 1400, Pedro Cavalini, ao lado do North Shopping. O atendimento é de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado, das 9h às 13h.

  • Ajudante de Eletricista
  • Ajudante de Serviços Gerais
  • Ajudante Geral
  • Analista Contábil (2 vagas)
  • Analista de Marketing
  • Analista de Recursos Humanos (2 vagas)
  • Analista de Telecomunicação
  • Analista Fiscal
  • Atendente de Balcão (2 vagas)
  • Atendente de Farmácia
  • Auxiliar Administrativo
  • Auxiliar de Cabeleireiro
  • Auxiliar de Conservação de Rodovias
  • Auxiliar de Cozinha
  • Auxiliar de Departamento Pessoal
  • Auxiliar de Engenharia
  • Auxiliar de Escritório (3 vagas)
  • Auxiliar de Limpeza
  • Auxiliar de Produção (2 vagas)
  • Balconista (2 vagas)
  • Batedor de Manteiga
  • Camareira de Hotel
  • Consultor de Vendas
  • Contador
  • Controlador de Produção
  • Cortador de Roupas
  • Costureiro (a) (3 vagas)
  • Cozinheira
  • Cuidador (a)
  • Depiladora
  • Designer Gráfico
  • Educador Social
  • Eletricista (2 vagas)
  • Eletricista Automotivo
  • Empregada Doméstica (3 vagas)
  • Encarregado de Produção
  • Entregador
  • Estagiário em Laboratório
  • Estoquista
  • Faxineiro
  • Instalador de Equipamentos de Segurança
  • Lavador de Ônibus
  • Lavador de Veículos (2 vagas)
  • Manicure
  • Mecânico (2 vagas)
  • Mecânico de Manutenção de Máquinas em Geral
  • Mecânico de Motor a Diesel (Ônibus e Caminhão)
  • Monitor de Produção
  • Monitor Social
  • Motorista (2 vagas)
  • Motorista Carreteiro
  • Motorista de Caminhão
  • Nutricionista
  • Operador de Produção
  • Operador de Silkscreen
  • Operador Financeiro
  • Pedreiro
  • Perfumista
  • Recepcionista de Hotel (2 vagas)
  • Secretária Executiva (2 vagas)
  • Serralheiro
  • Serralheiro de Ferro
  • Serviços Gerais (3 vagas)
  • Técnico de Informática
  • Técnico de Manutenção Industrial
  • Técnico Supervisor
  • Tratorista
  • Vendedor Interno (2 vagas)
  • Vigilante

O PAT fica na Avenida Hércules Pereira Hortal, 1367. O atendimento é de segunda a sexta-feira das 8h às 16h.

  • Atendente de Mesa
  • Auxiliar Administrativo
  • Estágio em Administração
  • Auxiliar de Armazenamento
  • Auxiliar de Borracheiro
  • Auxiliar de Codificador de dados
  • Auxiliar de Cozinha
  • Auxiliar de Crédito
  • Auxiliar de Escritório
  • Auxiliar de Supervisão (serviços externos)
  • Caldeireiro Instalador
  • Consultor de Vendas
  • Coordenador Comercial
  • Cuidador de Animais
  • Designer Gráfico
  • Eletricista (2 vagas)
  • Empregada Doméstica (4 vagas)
  • Farmacêutico (a)
  • Faxineira
  • Funileiro de Automóveis
  • Garçom
  • Inspetor de Alunos
  • Jardineiro
  • Marceneiro
  • Mecânico de Autos em Geral
  • Mecânico de Manutenção de Máquinas Agrícolas
  • Mecânico de Manutenção de Roçadeiras, Motosserras e Similares
  • Mecânico de Motor a Diesel
  • Mecânico Industrial
  • Motorista de Caminhão
  • Motorista Carreteiro (Bitrem)
  • Motorista carreteiro
  • Nutricionista
  • Oficial de Serviços Gerais (2 vagas)
  • Operador de Caixa
  • Operador de Cobrança
  • Operador de Retroescavadeira
  • Operador de Telemarketing (3 vagas)
  • Operador Financeiro
  • Panfleteiro (2 vagas)
  • Pedreiro (4 vagas)
  • Professor de Inglês
  • Promotora de Vendas
  • Químico
  • Recepcionista (2 vagas)
  • Reparador de linhas de comunicação de dados
  • Representante comercial
  • Serralheiro
  • Servente de Pedreiro
  • Soldador (3 vagas)
  • Técnico em Farmácia
  • Técnico Instalador
  • Técnico de Refrigeração
  • Técnico de Suporte de TI
  • Técnico Financeiro
  • Tratorista (4 vagas)
  • Vendedor de Comércio Varejista (4 vagas)
  • Vendedor Externo (2 vagas)
  • Vendedor Porta a Porta (2 vagas)

Continue lendo

Notícias

Brasileiro consegue mais emprego com carteira, mas está ganhando 9% menos

Artigo

em

Por

Passado o pior momento da pandemia de covid-19, a economia brasileira vem gerando mais empregos formais (com carteira assinada). Houve um crescimento de 8,5% em relação a janeiro de 2020 (antes da pandemia). Mas os salários iniciais estão menores. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Previdência, mostram que o salário médio dos trabalhadores contratados em abril deste ano é 9,34% inferior ao valor verificado em janeiro de 2020, já considerando os ajustes pela inflação.

Os salários de contratação deste ano também estão abaixo dos registrados um ano atrás, quando a crise sanitária era mais intensa. Para economistas ouvidos pelo UOL, os números traduzem essa percepção de que o país está gerando mais vagas, mas com salários menores.

LEIA TAMBÉM

“O Caged mostra que está havendo redução do desemprego, mas com salários mais depreciados”, afirma o economista William Baghdassarian, professor de finanças do Ibmec em Brasília. “Depois de tanto tempo de crise, de desemprego, as pessoas estão aceitando funções com salários mais baixos.”

Pelos dados do Caged, após a forte queda do emprego formal provocada pela pandemia no primeiro semestre de 2020, o estoque de vagas com carteira assinada passou a subir.

Em abril de 2022, o total de vagas formais no Brasil já estava em 41.448.948, um crescimento de 8,5% em relação a janeiro de 2020.

Embora mais pessoas estejam empregadas atualmente, as remunerações estão menores do que se viu antes da pandemia.

Em janeiro de 2020, o salário médio de contratação era de R$ 1.735,87. Se atualizado pela inflação até abril deste ano, esse valor seria equivalente a R$ 2.102,97. Conforme o Caged, o salário de contratação em abril deste ano foi de R$ 1.906,54. Ou seja, considerando a inflação, o salário de hoje é menor que o do início de 2020.

Veja nos gráficos abaixo o estoque de vagas com carteira assinada e os salários médios de contratação, atualizados pela inflação até abril de 2022.

A atualização inflacionária foi feita com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que serve de parâmetro para negociações salariais de diversas categorias profissionais.

Salários menores em 2022

Os dados do Caged indicam que os salários de contratação nos primeiros quatro meses deste ano também foram inferiores aos registrados no início de 2021.

O salário médio de contratação em abril de 2021, por exemplo, já atualizado pela inflação, foi de R$ 2.086,82. O valor é superior aos R$ 1.906,54 pagos, em média, a quem foi contratado em abril deste ano.

A queda do desemprego veio muito em função da redução salarial. Não é de se surpreender que tenhamos no Brasil um processo de empobrecimento grande, com as pessoas entrando na insegurança alimentar.
William Baghdassarian, professor do Ibmec

Para o professor Marcelo Manzano, do Instituto de Economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), o emprego de fato está crescendo no Brasil, mas os salários estão mais baixos.

“Nos últimos meses, temos observado a recuperação do emprego, que é resultado da retomada da economia pós-pandemia”, explica Manzano.

As atividades ligadas a serviços, que foram muito prejudicadas pela pandemia, estão se recuperando. Mas tem muita gente trabalhando em atividades informais, por conta própria. Nessas condições, é muito difícil haver recuperação salarial. Os trabalhadores estão aceitando trabalhar por salários muito baixos, em função do quadro social. Com o excedente de mão de obra, o salário não se recupera.
Marcelo Manzano, professor da Unicamp

Reforma trabalhista

Manzano aponta um segundo fator para que os salários não se recuperem: a reforma trabalhista realizada durante o governo de Michel Temer, que tornou mais flexíveis as relações entre patrões e empregados.

Segundo ele, a reforma restringiu a atuação de sindicatos e facilitou a demissão de funcionários por parte das empresas. “A homologação de uma rescisão contratual não passa mais por sindicatos. Então, as empresas demitem um funcionário e contratam outro. Antes, o sindicato tinha que fiscalizar isso”, afirma.

O professor cita ainda a maior dificuldade de acesso dos trabalhadores à Justiça do Trabalho. “Hoje, ao mover uma ação, se o trabalhador perder, ele paga as custas do processo. Isso passa uma mensagem, para a classe patronal, de que é possível não cumprir com absoluta clareza os pagamentos devidos. Abrem-se brechas para pagamentos reduzidos”, opina.

Baghdassarian, do Ibmec, tem avaliação diferente. “A reforma trabalhista foi boa. Ela não tirou tantos direitos e possibilitou maior empregabilidade”, afirma.

Mas quando os salários vão melhorar?

Os economistas ouvidos pelo UOL afirmaram que a recuperação dos salários passa pelo crescimento econômico. Eles lembraram que, nos últimos anos, o Brasil vem apresentando resultados cada vez menores para o PIB (Produto Interno Bruto).

Os dados do IBGE mostram que, de 2007 a 2010 (segundo governo Lula), o PIB brasileiro cresceu em uma média anual de 4,61%. De 2011 a 2014 (primeiro governo Dilma), a média anual de crescimento foi de 2,34%.

No período de 2015 a 2018, que abarca o segundo governo Dilma e o governo Temer, o PIB registrou retração anual média de 0,96%. De 2019 a 2021 (três primeiros anos do governo Bolsonaro), a média anual do PIB foi de 0,57%.

“O Brasil tem dificuldade grande de crescer desde 2015. Em 2015 e 2016, em meio à crise, o PIB recuou cerca de 7%. É como retirar Minas Gerais do mapa”, compara Baghdassarian, do Ibmec.

“Se o país não crescer, fica complicado ter mais renda. Para gerar emprego, é preciso gerar empresas, crescimento econômico. A nossa situação está muito mais ligada à dificuldade de voltar a crescer do que à reforma trabalhista.”

Para o economista Antonio Corrêa de Lacerda, professor da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e presidente do Cofecon (Conselho Federal de Economia), a recuperação de salários passa pelo estímulo do governo ao crescimento econômico. “O crescimento econômico é o motor da geração de emprego e renda”, defende.

Essa também é a visão de Manzano, da Unicamp. “O Estado tem que reintroduzir a industrialização no país”, defende. “Houve um esgarçamento do tecido econômico. Não dá para cicatrizar os buracos apenas pelo setor privado.”

Governo

O UOL abriu espaço para posicionamento do Ministério do Trabalho e Previdência sobre a geração de empregos formais e os salários no país. O ministério não se pronunciou.

Continue lendo

Estágio

Seplag-MG lança site que centraliza vagas de estágio no Governo de Minas

Artigo

em

Por

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MG) lançou, nesta sexta-feira (24/6), o Site de Estágio, que irá centralizar a divulgação de vagas de estágio do Estado. Os estudantes de ensino superior, médio e técnico interessados em estagiar no Governo de Minas podem acessar a plataforma neste link.

“O site busca ampliar e democratizar o acesso às oportunidades de estágio, proporcionar aos órgãos do Poder Executivo autonomia no recrutamento e na seleção de estagiários, facilitar a interação entre estudantes e contratantes, incentivar a realização de estágio no setor público mineiro e oferecer apoio à Seplag-MG com a centralização de informações relativas ao estágio no estado”, explica a superintendente Central de Política de Recursos Humanos, Maria Muniz.

LEIA TAMBÉM

O site possui as principais informações sobre a realização da atividade: o que é o estágio, quem pode participar, valor da bolsa-estágio, como participar do processo seletivo, entre outras. Possui também filtros para que o estudante encontre de maneira fácil a melhor vaga para seu perfil.

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS